Muito além das vendas

Depois de liberar wi-fi para os clientes, casal de jornaleiros quer criar área de convivência e lazer em torno de sua banca na Praça da República

A paulistana Maria Elizabete dos Santos trata com carinho os clientes de sua banca, na Praça da República, centro da cidade de São Paulo. No ramo de vendas de jornais e revistas há mais de 20 anos, ela se esforça para fidelizar o público. Oferece wi-fi, faz reservas de publicações e avisa por mensagem quando um produto desejado por algum cliente chega.

A história de Elizabete, de 39 anos, cruzou com a de José Inácio da Silva, de 40 anos, quando eles eram funcionários de uma banca no centro da cidade. Eles se casaram e não demorou muito para que decidissem realizar o sonho de ter o próprio negócio. Juntaram todas as economias, venderam um carro e, seis anos atrás, compraram o ponto da Banca Barroco, que já existe há 60 anos na Praça da República. Elizabete, então grávida de quatro meses, trabalhou até o dia do nascimento da filha e só ficou afastada durante 15 dias.

O esforço gerou resultados. Não demorou muito para que o casal expandisse os negócios com a compra de um novo ponto, a 50 metros de distância, que recebeu o nome de Banca Maria Elisa, em homenagem à filha. “Reinvestimos tudo o que ganhamos até hoje”, explica Inácio, que revitalizou a Banca Barroco e dobrou seu tamanho para 30 metros, o limite permitido pela prefeitura. “Nosso sonho era ter um pequeno negócio, mas, graças ao nosso trabalho, hoje temos a maior banca do centro da cidade”, conta Elizabete.

Os dois chegam às suas bancas todos os dias às 5h30 da manhã. Depois de varrerem e lavarem a calçada, iniciam o trabalho em uma das regiões mais movimentadas da cidade. “É o que gostamos de fazer”, diz Inácio. Enquanto ele cuida da parte administrativa dos negócios, ela atua no relacionamento com os clientes. “Dependemos um do outro para o trabalho funcionar. Somos o equilíbrio”, conta Elizabete, que sonha em transformar o entorno de sua banca em uma área de convívio social e lazer, com jardim, bicicletário e banheiro para todos. “Adoraria ter aqui um espaço para o cliente tomar café e engraxar o sapato enquanto lê uma revista, como antigamente. Não é elegante?” São ações que valorizam o serviço oferecido aos clientes e estimulam ainda mais uma visita às bancas do casal.