De Juiz de Fora para o mundo

Banca A Pioneira, na ativa há 90 anos na cidade mineira, atende clientes em todo o Brasil e adota modelo de gestão que é exemplo até no exterior

Giulio Caruso, (à frente, de calça preta) lidera time que toca a banca que foi de seu avô (Fernando Priamo/Tribuna de Minas/Abril)

Giulio Caruso, de 39 anos, nasceu para empreender. Formado em Administração, lidera o time de seis funcionários de A Pioneira,uma das primeiras 20 bancas de jornal do Brasil. Neto do fundador, Francesco, Giulio trabalha na banca
desde os sete anos de idade, quando ajudava o pai, Mário. Para ele, organização, limpeza e atendimento personalizado  são essenciais para o sucesso do negócio, que prospera há 90 anos em Juiz de Fora (MG).

O trabalho começa às 4h da manhã e só acaba às 23h. Uniformizado e bem treinado, o time de A Pioneira atende com excelência. “Quando uma pessoa vai à banca com uma ideia, indicamos cinco ou seis publicações de interesse e deixamos que folheie o que quiser. Esse cuidado faz com que o cliente leve três ou quatro revistas, em vez de apenas uma”, ensina.

Vendas pela internet

Giulio foi além do que uma banca tradicional faz e a levou para o mundo digital. Começou com vídeos na página da banca no Facebook e construiu uma rede de contatos muito bem segmentada pelo tipo de publicação de interesse no WhatsApp. Graças ao atendimento digital, A Pioneira agora, além de atender Juiz de Fora, conquistou todo o Brasil. “Em maio, só não vendemos para Roraima”, comemora o dono. Esse zelo vai além da preocupação de proprietário: Giulio segue um conselho do pai que dizia: “Ame com todas as forças aquilo que tem. Só assim a gente dá valor”, lembra o proprietário. Por isso, antes de assumir o negócio, ele trabalhou com um pouco de tudo na banca – venda na rua, entrega de bicicleta e distribuição.

Mesmo nas férias, Giulio aproveita para fazer benchmarking. Visita bancas de jornal no Brasil e no exterior, com o olhar crítico de dono de negócio e de consumidor. “Nunca vi uma banca com atendimento e arrumação como os de A Pioneira. Mudaria muitas coisas em vários estabelecimentos que visitei e fi co tranquilo que estamos no caminho certo”, diz. Com uma gestão que coloca a experiência do cliente em primeiro lugar, uma visita à banca é mais do que valorizar a informação: é um prazer.