5 ações da Banca do Jabá que são sucesso de venda

O jornaleiro Carlos Henrique, o Jabá, revela os segredos da banca número 1 de Santa Cruz do Rio Pardo, interior de São Paulo

Carlos Henrique, o Jabá, e os filhos Heloísa e Gabriel: parceria para alavancar o negócio (Carlos Henrique Orlando/Total Publicações)

A Banca do Jabá é a número 1 de vendas em Santa Cruz do Rio Pardo, interior de São Paulo, cidade famosa pela inusitada Corrida de Boia. Diariamente, uma legião de fãs e amigos do Jabá, como é conhecido o jornaleiro Carlos Henrique Orlando, passa por lá para bater um papo e comprar alguma novidade. É também o ponto de vendas escolhido do prefeito e dos políticos da região.

Sucesso nas redes sociais e cuidadoso na fidelização dos clientes, Jabá conta aqui os segredos de sua banca. São ideias simples e criativas que podem sem replicadas no seu ponto de vendas também.

1 – Nova modalidade de vendas: a “assinatura de avulsas”

Para estabelecimentos como lava-jatos, consultórios médicos e odontológico e salões de beleza, Jabá criou um sistema similar ao de “assinaturas”, mas com preço de avulsa. Uma ideia simples e criativa, que garante muitas vendas fixas durante todo o ano:

  • O jornaleiro seleciona as revistas que mais tem a ver com o público do estabelecimento, clinica, escola ou salão de beleza e vou até o local oferecer a venda anual das revistas;
  • Todo mês ele vai até o estabelecimento entregar a publicação “assinada”, que pode ser uma ou mais;
  • É preciso ter um controle organizado de qual estabelecimento assina qual revista e o pagamento é feito antecipadamente pelo cliente.

Aos jornaleiros que querem implementar a ação, ele dá as dicas:O mix de revistas oferecidas aos estabelecimentos é o que garante o sucesso nas vendas. Em lava-jatos, por exemplo, costumo oferecer revistas masculinas. As entregas são feitas gratuitamente, e aproveito para bater um papo com os clientes”.

2 – Fazer parceria com escolas para vender Atualidades

Todo início de ano letivo, Jabá separa cerca de 100 exemplares da Revista Atualidades, da Editora Abril, para deixar nas escolas. As instituições vendem aos pais dos alunos, que em geral tem essa publicação na lista de materiais, e depois repassam o valor das vendas ao jornaleiro. Como entendem que é um serviço diferenciado aos pais dos alunos, a escola não fica com nenhuma porcentagem das vendas.

O reparte alto é negociado previamente com o distribuidor, com quem mantém ótima parceria e garante o abastecimento em períodos especiais. “Tenho o contato do distribuidor no WhatsApp e essa parceria ajuda com as ações especiais que fazemos na banca”, explica o jornaleiro.

3 – Vendas por Whatz

Com a lista de contatos de clientes sempre atualizada no Whatz, Jabá pode compartilhar as novidades quem chegam. “Se um deles começa uma coleção, já separo o título e mando uma mensagem avisando”. Nota: Durante essa entrevista mesmo vários pedidos chegaram pra ele por este canal. 

4 – Vídeos no Face anunciando as novidades

Para engajar a clientela, não basta abrir uma página da sua banca no Facebook e só postar capas de revistas. “É preciso atualizá-la todo dia e postar conteúdo criativo e diferente de qualquer outra página”, explica Jabá.

Com a ajuda dos filhos Gabriel e Heloísa Orlando ele cria vídeos diferentes para mostrar os lançamentos da Banca do Jabá e convidar os clientes para darem uma passada por lá.

Um dos vídeos de maior sucesso do canal, inclusive, foi ideia da própria Heloísa. A fama dos vídeos espalhou pela cidade: “Já fomos reconhecidos até na missa”, conta.

5 – Banca recebe visita de alunos

Quem compra revista hoje provavelmente recebeu uma educação, em casa e na escola, que estimulava a leitura. Isso é fundamental para que os jovens desenvolvam o interesse pela leitura e entrem na adolescência ou idade adulta com vontade de ler revistas.

Sabendo da importância disso na formação das crianças, Jabá recebe regularmente em sua banca grupos de estudantes. A visita é negociada com a própria escola, que transforma a atividade lúdica em trabalho escolar.

“Eu falo com os alunos sobre a produção de revistas, a importância da leitura e como ela pode ajudar no desenvolvimento de cada um e eles fazem entrevista, tiram fotos e tem a oportunidade de conhecer as publicações da banca”, é uma experiência muito rica, destaca Carlos.